Sistemas de compartilhamento de bicicletas de cinco cidades brasileiras

Estudo publicado no Journal of Transport & Health em 2018 mostrou que os sistemas de compartilhamento de bicicletas de cinco cidades brasileiras investigadas (Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro) não servem de forma igualitária a população.

O estudo, intitulado Bicycle-sharing system socio-spatial inequalities in Brazil (Desigualdades sociais e espaciais de sistemas de compartilhamento de bicicletas no Brasil), contou com a colaboração de Leandro Garcia, pesquisador do GEPAF-USP. Os achados da pesquisa indicaram que somente 6 a 19% da população e 8 a 25% da área dessas cidades eram cobertas pelos sistemas de compartilhamento de bicicletas. Ademais, as estações estão concentradas nos bairros ricos dessas cidades – a renda média das áreas cobertas pelos serviços é, em média, o dobro da renda média dessas cidades.

Em uma segunda etapa do estudo, os pesquisadores analisaram documentos relacionados à concessão do serviço de compartilhamento de bicicletas na cidade de São Paulo e mostraram que as disposições contratuais parecem desempenhar um papel importante na definição da localização das estações e, portanto, da cobertura do sistema.

Infelizmente, desigualdades sociais e espaciais no acesso e uso de sistemas de compartilhamento de bicicletas são observadas também em outras cidades ao redor do mundo. Os autores do estudo sugerem que indicadores de (des)igualdade de acesso e utilização sejam adotados para o planejamento, implementação e avaliação do sucesso de tais sistemas.

O artigo pode ser obtido na íntegra em https://doi.org/10.1016/j.jth.2017.12.011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *