Grade Curricular

O curso de Obstetrícia da EACH tem um currículo totalmente inovador, inspirado em cursos bem sucedidos de Obstetrícia ao redor o mundo. Com grande ênfase nas áreas de humanas, sem perder o foco biológico, o currículo se orienta por um modelo de atenção à saúde que prioriza as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS) e da Humanização do Cuidado. Por essa formação, Obstetrizes estão capacitados para implementar o modelo de atenção integral à saúde da mulher, em especial nos momentos que envolvem a gestação, o parto e o pós-parto, e os relativos à promoção da saúde sexual e reprodutiva.


Referências:

O Curso de Obstetrícia tem como referências ético-legais o Código Internacional de Ética para Obstetrizes e as Competências Essenciais para a Prática da Obstetrícia, ambos definidos pela Confederação Internacional de Obstetrizes, entidade que congrega profissionais de mais de 72 diferentes países e que trabalha em conjunto com a Organização Mundial da Saúde (OMS), com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), com o Fundo das Nações Unidas para Populações (UNFPA) e com a Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) para promover melhorias na qualidade da atenção à maternidade em todo o mundo.

Pela sua história no Brasil, Obstetrizes sempre trabalharam em parceria com os Enfermeiros. Por este motivo, as referências nacionais para o Curso de Obstetrícia são as mesmas dos Cursos de Enfermagem, ou seja, a Lei do Exercício Profissional da Enfermagem, no. 7498 de 1986, e o Decreto que a regulamenta, no. 94.406 de 1987, dispositivos legais que regulamentam o trabalho de Obstetrizes.

À época em que os citados dispositivos legais foram aprovados, os titulares do diploma de Obstetriz foram incluídos na categoria profissional dos Enfermeiros. Por este motivo, considera-se que os atuais formados pelo Curso de Obstetrícia também sejam assim classificados, ou seja, Obstetrizes são profissionais de nível superior na área da Enfermagem. A equivalência entre Obstetrizes e Habilitados ou Especializados em Enfermagem Obstétrica exige que os referenciais de Assistência, Gerenciamento, Pesquisa e Ensino, definidos pelas Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Enfermagem (Resolução CNE/CSE no. 3/2001), estejam presentes e se constituam também pilares da formação em Obstetrícia.

O Curso de Obstetrícia tem forte conteúdo geral de Enfermagem, porém com terminalidade específica na atenção à maternidade. Por este motivo, considera-se que os Graduados em Obstetrícia tenham competências tanto para o trabalho privativo quanto para o trabalho em equipes de saúde, cujas incumbências estão descritas no artigo 8º. Do Decreto no. 94.406 de 1987, que regulamenta a Lei do Exercício Profissional de Enfermagem.

Dessa forma, o Curso de Obstetrícia se estrutura para qualificar Profissionais de Saúde com perfil e competências suficientes para participar ativa e conjuntamente com médicos e enfermeiros na necessária melhoria tanto do modelo assistencial quanto da atenção à saúde materna e perinatal brasileira.

 

Estrutura Curricular:

O curso sofreu diversas atualizações desde 2005, e hoje é oferecido no período diurno, em nove semestres letivos, com carga horária total de 4.140 horas. Considerando a importância de formar profissionais de saúde que possam atender de forma qualificada e capacitada as necessidades físicas, emocionais e socioculturais das mulheres no contexto da família e da comunidade, com ênfase no período gravídico-puerperal, as disciplinas do Curso de Obstetrícia se estruturam em quatro eixos fundamentais: Ciclo Básico; Bases Biológicas; Ciências Humanas, Sociais e da Saúde; e, Assistir, Cuidar e Gerenciar, conforme quadro e descrição a seguir apresentados.

Topo

Ciclo Básico:

O Ciclo Básico (CB) é comum a todos os cursos da EACH e foi idealizado para promover tanto iniciação acadêmica e discussão interdisciplinar no campo das ciências, das artes e das humanidades quanto articulação do conhecimento com a realidade da sociedade brasileira, regional e local. Ele é estruturado em três sub-eixos: formação introdutória no campo específico de conhecimentos de cada curso, formação geral e formação científica por meio da Resolução de Problemas (RP).

Os princípios e os objetivos do CB comprometem-se com uma formação de caráter científico, social e político que deve permitir a diferenciação dos profissionais formados pela EACH-USP. Nesse contexto, a RP é um dos eixos centrais da proposta pedagógica da unidade, que adota como princípio o papel ativo dos estudantes na construção do conhecimento. Esta proposta de trabalho inspira-se nos movimentos internacionais que organizam os currículos a partir do PBL (Problem-Based Learning), metodologia que se caracteriza pelo uso de problemas da vida real para estimular o pensamento crítico e o aprendizado de conceitos relacionados à área específica de conhecimento. Na área da saúde o método PBL tem sido apontado como uma das mais promissoras inovações no campo da educação, graças aos resultados que propicia e à coerência entre os seus fundamentos e as principais teorias de aprendizagem de adultos.


Bases Biológicas:

Nesse eixo desenvolvem-se os conhecimentos fundamentais da Biologia Humana necessários para a formação de profissionais de saúde. Por isso, muitas das disciplinas que constituem as Bases Biológicas são comuns a outros cursos da área da saúde da USP, tais como Imunologia, Microbiologia e Parasitologia Básicas e Farmacologia, oferecidas pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP, Processos Patológicos, Nutrição e Biologia Celular. Outras disciplinas dão maior ênfase ao processo de reprodução humana, como Embriologia e Genética; Anatomia, Fisiologia e Endocrinologia do Sistema Reprodutor; Fisiologia da Gestação, Parto e Pós-parto; e Placenta e placentação: aspectos básicos e clínicos. Nessa perspectiva, o conteúdo abordado nas três disciplinas de Fundamentos Biológicos da Obstetrícia tem como base os principais sistemas orgânicos, ensinados de forma a integrar os constituintes morfológicos, fisiológicos bioquímicos e farmacológicos, enfatizando, sempre que pertinente, as adaptações que ocorrem durante a gravidez. Essas disciplinas, também, procuram despertar o raciocínio científico e crítico, abrindo possibilidades para um processo de aprendizagem ativo, cooperativo, integrado e interdisciplinar, sedimentando as bases para a introdução dos conhecimentos específicos, associados à gestação, parto e pós-parto.

Topo

Ciências Humanas, Sociais e da Saúde:

Nesse eixo, amplia-se o referencial biológico da atenção à saúde materna e perinatal, incorporando-se a ele aspectos psicossociais, fundamentais para o pensar e o agir no campo da Obstetrícia. Neste contexto, os pressupostos teóricos da Psicologia, da Antropologia, da História e da Sociologia fazem parte do conteúdo curricular das disciplinas, possibilitando compreensão ampliada da saúde, o que inclui a cultura e o contexto social dos grupos e dos indivíduos.

Os principais temas trabalhados nas disciplinas que compõem este eixo são: a promoção da saúde e a educação em saúde; os processos psicossociais na assistência; o ciclo vital humano; a antropologia da saúde e do nascimento; a relação usuário/ profissional de saúde; os direitos humanos e os direitos sexuais e reprodutivos; as relações de gênero e a sexualidade; o uso de diferentes tecnologias em saúde; os dilemas éticos em saúde; as políticas públicas de saúde; a ética, a legislação e a educação profissional.
As disciplinas deste levam a discussões teóricas e à compreensão dos contextos histórico-culturais dos indivíduos. Além disso, seu enfoque busca possibilitar aos estudantes uma oportunidade para, a partir da identificação de problemas reais da sociedade, dos grupos e dos usuários dos serviços de saúde, construir conhecimentos e estratégias que possam contribuir para a resolução destes problemas.

 

Assistir, Cuidar e Gerenciar:

Nesse eixo, são desenvolvidos conhecimentos, técnicas e procedimentos próprios do processo de gerenciamento dos serviços de saúde e da assistência da mulher, do recém-nascido e da família, tanto no âmbito da comunidade quanto no ambiente hospitalar. Embora o enfoque seja dado na normalidade do processo do nascimento, é oferecido também conhecimento científico sobre as intercorrências clínicas, cirúrgicas e gravídicas da mulher, sobre os estados patológicos do feto e do recém-nascido e sobre as urgências e emergências gerais, obstétricas e neonatais.

A configuração das disciplinas desse eixo é articulada para convergir para o contexto prático e investigativo, por meio da atividade de campo, na qual se privilegia a habilidade técnica e interativa e o conhecimento específico, buscando sempre, a análise crítica das ações assistenciais. Através desta articulação, busca-se a ampliação da relação do aluno com o seu meio ambiente, tornando-o mais consciente e criativo, dotado de uma visão mais global, que lhe possibilite crescimento pessoal e profissional.

As atividades práticas iniciam-se no quinto período com a disciplina Fundamentação do processo de cuidar na saúde da mulher I, depois II, passando pela Assistência à saúde da mulher na família e comunidade, Assistência à mulher no prénatal e pós-parto, Assistência ao recém-nascido e lactente, Administração de serviços de atenção à saúde I e II, e se encerram com os Estágios curriculares integrados I, II e III. Estas atividades visam ao desenvolvimento e ao entendimento do cuidar enquanto prática inerente de profissionais que prestam cuidados sendo, por este motivo, dotadas de referenciais teórico-operacionais que caracterizam a área da Enfermagem Obstétrica.

O modelo de cuidado discutido e preconizado nas disciplinas assistenciais é centrado na mulher e baseia-se na premissa de que gravidez e nascimento são eventos normais na vida. Tal conceito pressupõe a abordagem da mulher e da família enquanto núcleo social básico, a valorização da experiência, a orientação para a saúde, fora ou dentro do contexto hospitalar, com a priorização tanto de aspectos preventivos, educativos e relacionais, quanto à segurança no uso apropriado de tecnologia.

De forma geral, o assistir e o cuidar em saúde reprodutiva envolvem os métodos, técnicas e serviços para a prevenção e solução de problemas e transcende a atenção biomédica. Inclui, além do cuidado direto, ações de promoção da saúde das mulheres, de seus filhos e suas famílias no contexto socioeconômico, cultural e histórico em que vivem e se reproduzem.
Nesse contexto, as disciplinas introdutórias ao processo de cuidar (Fundamentação I e II) apresentam os conteúdos básicos para que o estudante apreenda na teoria e na prática os instrumentos de cuidado da Enfermagem, tais como os procedimentos técnicos e as bases para a sistematização da assistência, ou seja, o levantamento de dados, o diagnóstico, a prescrição e a avaliação do cuidado prestado a mulheres, especialmente durante o ciclo gravídico-puerperal. Enquanto isso, as disciplinas que abordam a administração de serviços de atenção à saúde preparam os estudantes para o gerenciamento e avaliação do cuidado, bem como para organização e direção de serviços e de recursos humanos.

Em muitas disciplinas e nos estágios curriculares, o exercício da prática clínica inclui o cuidado da adolescente e da mulher adulta, antes, durante e depois da gravidez. Isto significa supervisão necessária, cuidado e aconselhamento durante a gravidez, o parto e pós-parto, realização de partos e prestação de cuidados aos recém-nascidos e às mulheres no pós-parto; detecção de condições anormais e obtenção de ajuda especializada quando necessário; execução de medidas de emergências/urgência em trabalho integrado com médicos e enfermeiros. Esta assistência inclui ainda promoção da saúde ou orientação e educação sobre saúde para mulheres, família e comunidade, orientações para a maternidade/paternidade e oferecimento de planejamento familiar.

Além dos conteúdos teóricos e práticos desenvolvidos nas diversas disciplinas do eixo, os estágios curriculares integrados, diretamente supervisionados por docentes ou especialistas do curso, asseguram o desenvolvimento do conhecimento e da integração com o maior número possível de profissionais de saúde, especialmente os de Enfermagem e de Medicina, primeiramente nos serviços de atenção primária à saúde da mulher e à saúde materna e perinatal e depois na atenção hospitalar à maternidade, realizada em centros de parto, centros obstétricos, alojamentos conjuntos, unidades de pronto atendimento e outros.

 

Atividades complementares:

Para que a formação em Obstetrícia privilegie a construção contínua do conhecimento e a participação estudantil, os alunos devem obrigatoriamente desenvolver a partir do 4º. (quarto) semestre atividades complementares para as quais são atribuídos créditos trabalho. São consideradas atividades complementares: trabalho de conclusão de curso ou monografia; trabalho de iniciação científica; estudo consubstanciado de caso; projetos de extensão; apresentação de trabalhos em eventos científicos; grupos de estudo e pesquisa; monitorias; representação discente em comissões estatutárias da USP; publicações; curso de línguas.

 

Grade curricular:

Conheça agora todas as disciplinas oferecidas pelo curso, semestre a semestre. Para obter detalhes de cada uma das disciplinas, como conteúdo e carga horária, consulte o sistema Júpter WEB - USP clicando aqui.

Topo

 
 
Curso de Obstetrícia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo
Rua Arlindo Béttio, 1000 - Ermelino Matarazzo, São Paulo, Capital - ver mapa
g>ver mapa